Câmara Municipal de Caucaia aprova isenção de taxas em concurso público para doadores de medula óssea

vereadora Emília Pessoa
vereadora Emília Pessoa

Isenção de taxas em concurso público para doadores de medula óssea é aprovado por unanimidade.

O tema doação de medula óssea movimentou o debate na sessão desta terça-feira (04.09) com a aprovação do Projeto de Lei da vereadora Emília Pessoa (PSDB) que isenta doadores em Caucaia de taxas de inscrição para concurso público no município.

A iniciativa da vereadora foi muito aplaudida pelos colegas que lembraram a luta da família para salvar a vida do ex-presidente da Câmara Eduardo Pessoa. Ele passou por uma cirurgia de transplante de medula e está em plena recuperação.
Ao apresentar a iniciativa, Emília Pessoa destacou o gesto nobre do amigo vereador Mickauê Franklin (PR) que, diante do cenário vivenciado pela família, falou que outros municípios adotaram esta prática com a finalidade de incentivar o ato de doação. “E me concedeu a honra de apresentar esse relevante projeto. Com ele queremos reconhecer aquelas pessoas que já são doadoras e chamar a atenção para esse simples, mas importante, ato de amor e solidariedade”, destacou.

Cadastro no Redome

De acordo com a proposta ficam isentos do pagamento de quaisquer taxas de inscrição em concursos públicos promovidos pelo município de Caucaia, os doadores de medula óssea. O projeto determina que a comprovação de que o candidato é doador universal de medula poderá ser feita mediante a apresentação de sua inscrição no Registro Brasileiro de Doadores de Medula Óssea (Redome). No Ceará, a inscrição pode ser feita junto ao Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce).
Falando com bastante propriedade de quem passou por todos os procedimentos junto com a família, Emília Pessoa disse do quanto é importante e simples ser doador. Segundo ela, quando um paciente necessita do transplante é realizada uma pesquisa de compatibilidade inicialmente entre familiares, colhendo amostras de sangue de seus pais e irmãos. Porém a possibilidade de um irmão ser totalmente compatível é de 25% e entre pais é inferior a 5%.
“Se não houver possibilidade de existir um doador familiar, a alternativa é procurar um doador compatível nos registros de doadores voluntários de medula óssea, daí a necessidade de se ter cadastro disponível para atender as devidas urgências e emergências e assim salvar vidas”, argumentou. O projeto foi aprovado por unanimidade.

Fonte: Gazeta da Jurema